Fuja de armadilhas

Os golpes financeiros ficam cada dia mais sofisticados, mas aderir às boas práticas de segurança pode te ajudar a se proteger

Share on facebook
Share on email
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Fuja de armadilhas

Os golpes financeiros ficam cada dia mais sofisticados, mas aderir às boas práticas de segurança pode te ajudar a se proteger

A pandemia de Covid-19 promoveu uma verdadeira transformação digital, acelerando e aumentando o uso das tecnologias. Por consequência, esse movimento potencializou de forma exponencial as atividades dos cibercriminosos, e muitos deles visaram o público maduro. Para se ter uma ideia, dados da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) mostram que, no período da quarentena, houve um aumento de 60% nas tentativas de golpes financeiros contra idosos. Ainda segundo a entidade, no primeiro bimestre de 2021, os ataques de phishing, a chamada pescaria digital, que se inicia por meio de recebimento de e-mails que carregam vírus ou links e que direcionam o usuário a sites falsos, cresceu 100% em relação ao ano passado, enquanto os golpes da falsa central telefônica e do falso funcionário de banco, que é quando os criminosos ligam para as vítimas se passando por funcionários de alguma instituição financeira, tiveram crescimento ainda maior, de 340%. Golpes como esses se aproveitam dos artifícios da chamada engenharia social. A prática tem sido cada vez mais adotada, e usa manipulação psicológica com a vítima para ter acesso fácil a informações confidenciais, como números de documentos, dados bancários e senhas de cartões. “O cenário brasileiro de segurança cibernética chama a atenção porque estamos entre os dez países mais atacados do mundo”, destaca o diretor comercial na NetSafe Corp, empresa especializada em soluções de segurança da informação, Waldo Gomes. Outro ponto que preocupa no País, ele destaca, são os casos de grandes vazamentos de dados sensíveis, pois isso têm permitido que os golpistas arquitetem ataques cada vez mais realistas. Gomes conta que, atualmente, tem se popularizado um golpe específico no aplicativo de mensagens WhatsApp. “A pessoa recebe uma comunicação de um parente ou amigo próximo dizendo que trocou o número de telefone e solicitando um favor financeiro”, explica. “Os criminosos cruzam informações roubadas de bancos de dados e conseguem concretizar o golpe sem a necessidade de hackear a conta, usando apenas os artifícios de engenharia social”. Para evitar cair nessa armadilha, a recomendação do especialista é, ao receber esse tipo de contato, ligar imediatamente para a pessoa, no número de telefone anterior, que você tem cadastrado no seu aparelho, para saber se a história é verdadeira. Outra dinâmica que se alimenta dos vazamentos de dados e é bastante comum é a de golpes ligados à aposentadoria. Nesses casos, a desconfiança também é peça- chave para não se tornar uma vítima. “Não acredite em comunicações recebidas por SMS ou WhatsApp. Em caso de dúvida ou problemas com o benefício, entre em contato com o banco através dos telefones e e-mails disponíveis no site oficial”, indica o diretor comercial da NetSafe Corp. E ele ainda lembra que o smartphone se transformou em uma verdadeira carteira digital e não pode ser deixado desprotegido. “Ligue o sinal de alerta para o que não é usual e aproveite todos os recursos de senha e proteção que estão disponíveis. Cuidar desses dispositivos também é fundamental para ter uma vida digital mais segura e livre de golpes financeiros”, conclui. Orientações e informações para não cair em golpes * O banco nunca liga para o cliente pedindo senha ou número do cartão e nem solicitando que realize uma transferência ou outro tipo de transação bancária como teste; * As instituições financeiras também não enviam funcionários para a casa do cliente para retirar cartão e realizar qualquer tipo de pagamento; * Ao receber uma ligação dizendo que o cartão foi clonado, o cliente deve desligar, pegar o número de telefone que está no cartão ou nos sites oficiais do banco e ligar de outro telefone para saber se a situação é verdadeira; * Recebeu um SMS ou e-mail do banco com um link? Apague e ligue para o seu gerente; * Multiplique os cuidados e nunca passe sua senha e outros dados bancários e pessoaispara outra pessoa. Fonte: Federação Brasileira de Bancos (Febraban) Conheça outras fraudes financeiras comuns e saiba como evitá-las: Golpe do delivery Como é: o cliente faz um pedido pelo aplicativo e, no pagamento, o entregador apresenta uma maquininha com o visor danificado e passa um valor acima do informado anteriormente. Como evitar: é importante sempre checar o preço da compra no visor da maquininha e não aceitar aparelhos que não permitam a conferência. Outra forma eficiente de escapar dos golpes é fazer o pagamento diretamente via aplicativo. Golpe do extravio do cartão Como é: golpistas furtam o cartão durante o processo de entrega e ligam para a vítima, se passando por um funcionário do banco, para informar a respeito do extravio. Para solucionar o suposto problema, solicitam a senha do cartão. Como evitar: nunca passe dados, senhas ou acessos a ninguém. Se o prazo de entrega do cartão se esgotar e a correspondência não chegar na sua casa, entre em contato com o seu gerente bancário.