A competência da maturidade

Ignez Scotti, de 64 anos, viralizou no LinkedIn após fazer uma publicação sobre a sua dificuldade para encontrar uma vaga no mercado de trabalho

Share on facebook
Share on email
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

A competência da maturidade

Ignez Scotti, de 64 anos, viralizou no LinkedIn após fazer uma publicação sobre a sua dificuldade para encontrar uma vaga no mercado de trabalho

Ignez Scotti, hoje com 64 anos, viralizou na plataforma profissional LinkedIn no final de 2020 com uma publicação sincera e carismática. Depois de quase um ano desempregada, e com a chegada da pandemia de Covid-19, ela precisou recorrer à modalidade freelancer para ajudar a manter as despesas da casa. Mas, durante esse período, viu o volume de trabalho cair bastante e teve que buscar alternativas para não perder o controle das finanças. “Ao abrir o LinkedIn para procurar novas vagas, me deparei com a famosa pergunta ‘no que você está pensando?’”, conta Ignez. Na hora, ela decidiu usar a rede para pedir um emprego. A intenção era alcançar pessoas do seu círculo de amigos, mas, em pouco tempo, o post atingiu milhares de visualizações – foi compartilhado por mais de 99,4 mil pessoas e recebeu mais de 2,3 mil comentários. “Cada vez que eu entrava, os números estavam mais altos, até chegar a quase dois milhões. Foi uma alegria indescritível”, destaca, acrescentando que a cada nova visualização, reação ou comentário foi se sentindo cada vez mais amada e valorizada. “Jamais me esquecerei de todos que os formaram essa corrente do bem ao meu favor e serei eternamente grata.” Segundo a profissional, em 2020, ela chegou a mandar mais de 400 currículos em busca de uma recolocação no mercado de trabalho. Enquanto muitas empresas nunca lhe deram retorno, algumas agradeceram o contato e outras disseram que ela não tinha o perfil que procuravam. Mas depois que sua publicação viralizou, a situação mudou: “quando me dei conta, estava fazendo entrevistas de emprego de manhã, à tarde, à noite e aos finais de semana”, lembra. Diante de tantas opções, não foi tarefa fácil escolher a melhor vaga. Mas a identificação com a Decode, uma startup de data analytics, foi maior, e Ignez aceitou o emprego de analista de conteúdo. “Eles fizeram com que eu me sentisse tão à vontade que parece que eu já fazia parte do time”. Valorize sua experiência Sempre ativa, Ignez, ao longo da vida, fez vários cursos e trabalhou em diversas funções e empresas. Em 1978, se graduou em Comunicação Social, com especialidade em Publicidade e Propaganda. Em 2008, realizou o sonho de fazer uma pós-graduação em Docência Superior – o que a levou a lecionar por 21 anos no curso de Teologia da Igreja do Evangelho Quadrangular. Dois anos depois, encarou a segunda pós-graduação, em Gestão e Tutoria. Em toda essa trajetória, teve o apoio do companheiro Ricardo, com quem está casada há quase 42 anos e, mais tarde, dos três filhos, que lhe deram dois netos. Segundo a redatora, a idade não pode ser um empecilho na busca por uma colocação ou de uma realização profissional. O que tem de contar é o quanto a pessoa aproveitou sua vida para aprender e crescer, assim como o quanto pode oferecer de vivência àqueles que estão iniciando a carreira. “Nunca desistam e jamais pensem que não têm mais valor. Inspirem-se em meu exemplo e acreditem que ainda existem empresários que sabem como pessoas 60+ podem contribuir com conhecimento, aprendizado e experiência”, aconselha. “Pense, ainda, no quanto você pode ensinar aos filhos, netos e outros jovens. Erga os olhos, o corpo, a mente e o coração para vislumbrar o lindo e produtivo futuro que ainda te espera”.
“Alguém conhece uma pessoa ou empresa que esteja disposta a contratar uma linda senhora de 63 aninhos? Sou muito eficiente, proativa e com muita lenha pra queimar. Tenho muita experiência como redatora e revisora de textos, escritora, professora, coordenadora pedagógica e assistente administrativo. Além de possuir muita facilidade em aprender novas funções e assumir novos desafios. #velhinhadisposta”