Presente em forma de cartão

Gift cards entregam experiência de consumo e ajudam franquias a faturar durante a pandemia de Covid-19

Share on facebook
Share on email
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Presente em forma de cartão

Gift cards entregam experiência de consumo e ajudam franquias a faturar durante a pandemia de Covid-19

Os gift cards, também chamados de cartões-presente, não são uma novidade no mercado brasileiro. Esse recurso, que permite a aquisição de um valor pré-determinado pelo comprador para presentear amigos e familiares com produtos ou serviços, é usado há tempos por varejistas, em especial os de moda – depois, passou a ser adotado por empresas de streaming e tecnologia, como Netflix, Spotify e Google –, mas sem tanto alarde. Porém, com a pandemia de Covid-19, a estratégia ganhou os holofotes. Segundo pesquisa da plataforma de inteligência de mercado focada em e-commerce Compre & Confie, os gift cards apresentaram uma alta de 1.041% nas vendas apenas em maio de 2020. “Esse crescimento foi influenciado pelo aumento das compras on-line durante o período de isolamento social mais severo e também pela impossibilidade de presentear fisicamente”, explica o consultor do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo (Sebrae-SP), Hugo Hoch. Atualmente, os cartões-presentes se consolidaram no mercado e têm sido usados por empresas dos mais diversos segmentos, incluindo franquias, que podem aproveitar os seus benefícios a longo prazo. “É inegável que eles são muito eficientes em termos de vendas e usabilidade, e podem, sim, ser grandes aliados no crescimento da capilaridade de canais e no aumento de faturamento”, afirma o especialista. Em busca do melhor modelo Apesar de ser indicado para todos os tipos de companhias e dos mais variados setores, o recurso só deve ser implementado se este for um desejo real do público-alvo. De acordo com Hoch, é importante uma análise profunda para saber se essa alternativa é viável para o negócio. Caso a resposta seja positiva, daí a empresa deve descobrir os melhores valores e formatos para oferecer aos consumidores. A rede de estética Emporium da Beleza, por exemplo, seguiu exatamente esse caminho. “Adotamos os gift cards para atender à solicitação de consumidores que gostariam de presentear pessoas especiais em suas vidas. Para a implantação, nosso comitê fez uma pesquisa entre os franqueados para entender quais eram os hábitos de consumo e o ticket médio dos clientes em cada unidade”, disse a CEO e fundadora, Ana Paula Ferro. Assim, foi determinado que seriam vendidos cartões nos valores de R$ 100, R$ 200, R$ 500 e R$ 800. A pessoa que compra o mimo pode optar por um procedimento específico ou deixar que o próprio presenteado escolha entre as especialidades da casa (tratamentos faciais e corporais, depilação a laser, nutri e dermocosméticos e, emagrecimento). O gift card tem validade de um ano a partir do momento da compra.
Vantagens dos cartões-presente 1. Oferecem uma opção de compra flexível 2. São práticos para presentear amigos e familiares, e com menos chances de erro 3. Aumentam as vendas da empresa 4. Fortalecem a marca e trazem visibilidade 5. Criam a oportunidade de fidelização 6. Melhoram a experiência de compra 7. Atraem novos clientes
Vale destacar que a Emporium da Beleza oferece cartões físicos e digitais, estratégia para lá de válida em tempos de Covid-19. “Ambos são modelos de sucesso e igualmente importantes para qualquer empresa”, aponta Hoch. Criar experiências Embora os gift cards sejam encarados pelos clientes como uma forma de presentear com praticidade – e com menos chances de erro –, eles são muito mais do que isso, já que entregam uma experiência de consumo para quem o recebe. No caso da Fini, a grande graça é proporcionar ao amigo ou familiar uma ida até um ponto de vendas para montar um pacote com suas guloseimas preferidas. “As nossas franquias são canais em que temos a oportunidade de criar vivências próximas e diretas para os nossos clientes”, conta a gerente executiva de Marketing da The Fini Company, Andrea Köhler. Hoje, a marca oferece dois tipos de cartões. Os físicos têm valor mínimo de recarga de R$ 30. O digital, por sua vez, está disponível nas versões de R$ 50, R$ 100 ou R$ 150. Há prazo de seis meses para utilizar os créditos, mas não é necessário gastá-lo todo em uma única compra. Por enquanto, eles só podem ser usados nos pontos físicos, mas a rede adianta que já está trabalhando na próxima fase do projeto, em que será possível “gastar” também no e-commerce. Além de serem úteis para o público, os gift cards são vantajosos para as empresas que o adotam. Dados de uma pesquisa da instituição financeira norte-americana First Data mostram que 60% dos presenteados costumam gastar mais do que o valor recebido no cartão. Isso, inclusive, é visto na Emporium da Beleza. “Ele permite que nosso franqueado consiga captar clientes que não possuem o hábito de consumo no ­mercado de estética. Algumas pessoas se identificam com esse universo, mas, muitas vezes, não compram os tratamentos. Porém, quando ganham o cartão, conhecem o trabalho da clínica e acabam completando o valor do crédito para ter um serviço desejado ou até fechando outros pacotes”, diz Ana Paula. Neste momento, outro benefício do recurso é a possibilidade de driblar a crise provocada pelo surto de Covid-19. “Criamos estratégias para auxiliar os franqueados na retomada das vendas neste período. Implementamos o delivery e, posteriormente, lançamos os cartões-presente, que aparecem como mais uma oportunidade de rentabilidade e impulsionamento das unidades”, comenta Andrea, da Fini. A rede líder no segmento de candies no Brasil não divulga os números do serviço, lançado no País durante a campanha de Natal de 2020. No caso da Emporium da Beleza, desde o início da pandemia, houve um aumento de 10% nas vendas. Nas datas comemorativas, que costumam inflar as vendas no comércio, os cartões também são boas alternativas para quem compra, quem recebe e para o vendedor. De um lado, os clientes e presenteados têm acesso a um mimo diferente. Do outro, a loja vê um crescimento relativo nos ganhos do mês. Tanto é que, por exemplo, na Emporium da Beleza, em celebrações como Dia dos Namorados, Dia das Mães e Natal, eles representam 5% do faturamento mensal da unidade.