Missão transformação tecnológica

Nova diretora-executiva da ABF, Silvana Buzzi vai conduzir a Associação nos processos de transformação digital, governança e gestão

Share on facebook
Share on email
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Missão transformação tecnológica

Nova diretora-executiva da ABF, Silvana Buzzi vai conduzir a Associação nos processos de transformação digital, governança e gestão

Em junho, a ABF ganhou uma nova diretora-executiva: Silvana Buzzi. Substituindo Marcelo Maia, que deixou o cargo recentemente e assumiu como diretor administrativo-financeiro estatutário da entidade, a profissional entra para o time com a missão de liderar a Associação nos processos de transformação digital, governança e gestão. Na entrevista a seguir, a profissional adianta um pouco de como será o seu trabalho.

Você chega na ABF com a missão de liderar a Associação nos processos de transformação digital, governança e gestão. Como será esse trabalho?
Tenho uma missão muito clara na ABF, definida pelo presidente André Friedheim, ligada à transformação tecnológica. Mesmo antes da pandemia, a Associação já havia decidido iniciar o seu processo, que passa, inclusive, por uma mudança cultural dos colaboradores e associados, além de outras variáveis. Incorporar o digital há muito tempo não é mais uma questão de escolha, mas de sobrevivência.

Por que é importante investir em transformação digital?
As vantagens são inúmeras. A maior digitalização do relacionamento com os associados permite facilitar o contato entre eles e a ABF através de diferentes ambientes, canais e formatos. Além disso, permite melhorias nos processos internos, contribuindo para aumentar a eficiência e a produtividade do time.

O que pretende implantar na entidade?
A ABF tem hoje metas muitas claras e eu pretendo auxiliar para que elas sejam alcançadas em um curto período de tempo e da melhor forma possível. Entendo que, neste momento, manter o foco nas metas é essencial.

Quais serão as prioridades, levando em conta o período atual de pandemia?
As pessoas. Sem elas não será possível atingir as metas. Ainda mais neste momento. Estamos há quatro meses em pandemia. A fase do susto já passou, mas ainda é um momento muito sensível para os liderados e também para os líderes.

E quais as suas expectativas?
São muito altas, sempre. A hora é agora. Não vamos esperar o novo normal chegar, até porque não sabemos quando isso será. Vamos ajustar os processos que merecem ser ajustados e seguir os novos caminhos que o mundo está seguindo. Lembrando sempre que a tecnologia é o meio, não o fim.

Como você enxerga o franchising na atualidade?
Nenhuma empresa deve sair ilesa da crise, mas sinto que o ecossistema de franchising é muito unido e resiliente. A prova disso, por exemplo, é o número de engajamento das empresas associadas nos conteúdos digitais que a ABF disponibilizou nos últimos meses, e também o movimento para atrair crédito para o setor.

Saiba mais
Silvana Buzzi é graduada em Relações Internacionais e possui MBA em Administração pela Universidade Estadual de Santa Catarina (Unica) e pela Universidade Independente de Lisboa. Também tem especialização em Finanças pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. A nova diretora da ABF iniciou sua carreira executiva ainda jovem. Aos 23 anos, assumiu a presidência da Junta Comercial de Santa Catarina (JUCESC), onde permaneceu por cerca de oito anos. Também foi diretora-executiva da Companhia São Paulo de Desenvolvimento e Mobilização de Ativos (SPDA), atuou como chefe de gabinete na Secretaria Municipal de Desestatização e Parcerias e, por fim, ocupou a posição de diretora-executiva na São Paulo Negócios, onde foi também presidente interina.