Fazer bem feito é o mínimo

CEO do CNA, marca escolhida como Franqueador do Ano em 2020, Décio Pecin fala das escolhas da rede que vêm dando certo e que levaram a marca ao patamar atual de desenvolvimento

Share on facebook
Share on email
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Fazer bem feito é o mínimo

CEO do CNA, marca escolhida como Franqueador do Ano em 2020, Décio Pecin fala das escolhas da rede que vêm dando certo e que levaram a marca ao patamar atual de desenvolvimento

No início de abril, recebi do presidente da Associação Brasileira de Franchising (ABF), André Friedheim, uma das notícias mais emocionantes e felizes de toda a minha carreira: o CNA havia sido escolhido o Franqueador do Ano de 2020 pela associação.

Não vou mentir, fiquei emocionado naquele momento, pois no meio de tanta notícia ruim, de tempos difíceis, de doença, pandemia, isolamento, carência e pouco afeto, aquela novidade me tocou de uma maneira muito especial. Talvez porque somos uma marca chancelada há 29 anos de forma ininterrupta pela ABF, mas este ano, de forma muito especial, vencemos.

Mas vencemos quem? Vencemos nossos próprios limites.

Sei que existem outras grandes marcas no mercado brasileiro de franquias merecedoras desse prêmio, e sei o quanto é difícil chegar a esse posto. São pouquíssimas as redes que já conseguiram esse feito.

Algumas pessoas já me perguntaram: “Décio, o que vocês fizeram para ganhar neste ano?”. Minha resposta muito sincera é: nada de diferente. Continuamos fazendo o que sabemos fazer, continuamos colocando as nossas pessoas e escolas em primeiro lugar. Nunca é demais lembrar que as 614 escolas e as milhares de pessoas envolvidas com o CNA são a nossa prioridade.

Aqui, apesar de crescermos consistentemente e sermos uma das maiores redes de ensino de idiomas do Brasil, continuamos chamando as pessoas pelo nome, continuamos dando valor ao café, à visita feita pessoalmente, ao toque humano em nossas relações. Aqui, o franqueado sabe com quem deve falar e cada um da equipe do franqueador sabe da responsabilidade que tem com o nosso propósito: educar para o desenvolvimento das pessoas e a construção de uma sociedade melhor.

Aqui, continuamos – e continuaremos – dando valor às coisas simples de uma relação, exaltando a humanidade sem abrir mão do desenvolvimento e da inovação, dois aspectos que prezamos para a nossa marca.

É uma paixão contínua e crescente por tudo o que fazemos, no franqueador e em nossas escolas. Valorizamos as melhores práticas, ações e atitudes, além do trabalho em time.

Esse é um compromisso que assumimos quando conhecemos cada um de nossos franqueados, e esse é o espírito que deve nortear cada um de nossos colaboradores, do presidente ao porteiro. Devemos servir ao nosso propósito a partir dos nossos valores: Alegria, Inovação, Ética, Respeito e Credibilidade, Ousadia e Protagonismo, Cordialidade e Encantamento, Diversidade e Responsabilidade.

Voltando à pergunta que estão me fazendo: nada fizemos de diferente. De verdade, nada. Se tivéssemos feito algo de diferente teríamos nos desviado de tudo isso. Mantivemos o que nos guia há anos, respeitando nossa gente e nossos valores.

Eu só quero mesmo é agradecer. Agradecer a todos os meus colaboradores, do passado e do presente, porque essa história não está sendo contada só agora, é uma soma de muito tempo. Quero agradecer aos franqueados, razão da existência deste franqueador. Agradecer a cada aluno pela confiança em nossa marca. Agradecer à ABF e aos amigos que tenho lá.

Continuaremos nessa jornada, tenho certeza de que mais robustos e conscientes de nossas forças e oportunidades. Vamos seguir trabalhando muito para superar os desafios, internos e externos, e continuaremos no rumo do crescimento sustentado pela verdade.

Permanecemos acolhendo a todos. Venha para o nosso mundo. Eu continuo acreditando que não devemos mudar nosso DNA. Confio que só assim seguiremos sendo uma genuína marca formada por gente que respeita gente.

 

 

* Décio Pecin, CEO da rede de ensino de idiomas CNA