Tutores lança seu material didático-pedagógico

Rede trabalhará quatro manuais de estimulação cognitiva multidisciplinar: Matemática, Funções Executivas, Consciência Fonológica e Habilidade Psicomotora

Share on facebook
Share on email
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Tutores lança seu material didático-pedagógico

Rede trabalhará quatro manuais de estimulação cognitiva multidisciplinar: Matemática, Funções Executivas, Consciência Fonológica e Habilidade Psicomotora

Nascida com a missão de oferecer um sistema de educação complementar e estruturado para melhorar o desempenho escolar de crianças, adolescentes e jovens, a Tutores completa 11 anos no mercado em uma nova fase, movida por grandes investimentos: a rede passa a contar com o próprio material didático-pedagógico.

A filosofia educativa da Tutores – capaz de trabalhar com quaisquer metodologias utilizadas nas escolas brasileiras – soma-se agora aos quatro novos programas de estimulação cognitiva, que complementam as tutorias nas dificuldades de aprendizagem

Trata-se do Programa de Estimulação Cognitiva Multidisciplinar, um valioso recurso para estimular o processo de reeducação e habilitar o estudante a ter um melhor desempenho cognitivo, favorecendo o progresso das capacidades funcionais que estimulam o cérebro na aprendizagem e promovendo autoestima, autonomia e autoconfiança para a solução das dificuldades, sejam elas diagnosticadas ou apenas queixas meramente situacionais que costumam ser verbalizadas pela família ou pela instituição de ensino que frequentam.

O pesquisador e professor português Rafael Pereira construiu sua base acadêmica focada na educação básica. Ele é autor de vários de livros internacionais sobre dificuldades de aprendizagem, cognição (raciocínio lógico-matemático), psicomotricidade, consciência fonológica e funções executivas.

“A nossa busca por melhorias não para, e essa novidade chega para que possamos oferecer para os estudantes um resultado ainda mais significativo. Ela será aplicada concomitantemente com o reforço usual, no sentido de tornar esse aluno um cidadão livre, para que ele possa seguir seus estudos de maneira individual”, comenta o sócio-fundador da marca Artur Hipólito.

Todos os exercícios propostos pelos programas de estimulação em dificuldades de aprendizagem desenvolvidos pela Tutores são apresentados em formato de livros didático-pedagógicos individuais com um método prático e lúdico, que possibilitam o desenvolvimento em três níveis, do mais simples ao mais complexo.

O material, elaborado em parceria com o professor, pesquisador e especialista em transtornos de aprendizagem Rafael Silva Pereira, é composto por quatro programas de estimulação: Matemática, Funções Executivas, Consciência Fonológica e Habilidade Psicomotora.
Em fase de implementação na rede, a expectativa é de que, até o final do ano, 100% dela já o esteja utilizando. E, em 2021, adianta Hipólito, outros quatro livros deverão ser lançados, com níveis mais avançados por temas. “Queremos atender o maior número possível de estudantes, e suas famílias, e contribuir para que se desenvolvam com mais velocidade, eficiência e consistência”, acrescenta.

Artur Hipólito e Léa Bueno, sócios-fundadores da Tutores

Léa Bueno, editora responsável pelo projeto e sócia-fundadora da Tutores, complementa que o novo material consegue atender praticamente todas as dificuldades de aprendizagem diagnosticadas, como dislexia, discalculia e disgrafia, além de dificuldades em se organizar nos estudos, administrar o tempo e a falta de atenção e concentração.
“Esse é um programa bem abrangente e completo, com o qual conseguimos trabalhar desde os primeiros anos do Ensino Fundamental até o final do Ensino Médio. Ele conta com exercícios práticos e lúdicos, para ser mais interessante para o aluno, e possibilita o desenvolvimento em três níveis, do mais simples ao mais complexo”, relata.
Junto a isso, Pereira pontua que o material permitirá que os tutores que fazem parte da rede possam levar aos seus alunos uma melhor intervenção. “Produzimos os manuais utilizando a técnica da neurometria, procedimento que nos permite perceber, como equipamento neurofisológico que é, a área ativada quando o aluno está realizando determinado exercício. E o que é muito interessante é que os estudantes farão avaliações que permitirão, acima de tudo, obter um perfil de sua funcionalidade em várias áreas do conhecimento, possibilitando ao profissional direcionar a intervenção e comparar os resultados antes e depois.”