O franchising do futuro agora

Se há um setor da economia brasileira que sempre está de olho no que está por vir, nas tendências, no futuro, este é o franchising.

Share on facebook
Share on email
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

O franchising do futuro agora

Se há um setor da economia brasileira que sempre está de olho no que está por vir, nas tendências, no futuro, este é o franchising. O setor de franquias, por sua essência, traz em si o novo, o diferenciado.
De produtos a serviços, os mais diversos, podem ser encontrados nas redes de franquias. No início, há mais de 60 anos, o franchising no Brasil, lançado por meio de redes de alimentação e de escolas de idiomas, já trazia algumas inovações, como, por exemplo, no mobiliário das escolas e na introdução do conceito de fast food pelas redes de alimentação ainda na década de 1950.
Ao longo dessas seis décadas de história, o sistema de franquias tem se mantido em destaque por suas inovações. Novos produtos, serviços, modelos de negócios, nos mais diversos segmentos e nichos de mercado foram e continuam sendo lançados. Um exemplo mais recente são as franquias voltadas às novas fontes de energia, como a eólica.
Hoje, um dos nossos focos está na gestão para o futuro. Vemos que há empresas franqueadoras que estão investindo em espaços para inovação, dedicados a testar novas tecnologias que posteriormente são implantadas na rede.
No entanto, a gestão para o futuro não necessariamente está ligada aos avanços tecnológicos. Ela também se relaciona a conceitos simples, que nos remetem ao passado ou à essência do próprio franchising, como a cultura do compartilhamento. Nela, dividimos espaços, recursos, equipamentos etc, e multiplicamos as possibilidades de racionalizar de forma sustentável o uso desses mesmos recursos. No caso das redes de franquias, franqueador e franqueado compartilham do mesmo negócio e dos seus resultados.
A cocriação, termo tão atual, também se insere na gestão para o futuro. E é interessante notar que esse conceito também se aplica ao franchising. Vemos que há redes de franquias cujos franqueados participam ativamente dos processos de criação das empresas franqueadoras, o que é bastante salutar para o desenvolvimento e o fortalecimento da rede.
Em meio a tantas transformações, é sem dúvida desafiador se manter na vanguarda. Contudo, é também um estímulo para nós que fazemos e vivemos o franchising. E isso nos faz entender que continuamos, sim, de olho no que está por vir e fazendo o franchising do futuro agora.

Ricardo Bomeny, é presidente do Conselho da Associação Brasileira de Franchising (ABF)