O conceito de varejo

Considerado como um canal de distribuição de produtos pela literatura mais tradicional de marketing,

Share on facebook
Share on email
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

O conceito de varejo

Considerado como um canal de distribuição de produtos pela literatura mais tradicional de marketing, o varejo ganhou destaque nas últimas décadas, tendo em vista sua posição estratégica na distribuição de produtos e serviços e sua proximidade junto aos consumidores finais.
Para Kotler (2012, pág. 482), “o varejo inclui todas as atividades relativas à venda de bens e serviços diretamente ao consumidor final, para uso pessoal”. Já Richter (1954) define o varejo como “o processo de compra de produtos em quantidade relativamente grande dos produtores atacadistas e outros fornecedores e posterior venda em quantidades menores ao consumidor final”. Outra definição é trazida por Spohn (1977): “uma atividade comercial responsável por providenciar mercadorias e serviços desejados pelos consumidores”.
De acordo com a equipe técnica da SBVC e pelos entendimentos da literatura e de associações mundiais, o varejo pode ser entendido como toda atividade econômica da venda de um bem ou um serviço para o consumidor final, ou seja, uma transação entre um CNPJ e um CPF.

A partir desse conjunto maior de atividades comerciais, o varejo é segmentado tradicionalmente da seguinte forma:

1. Bens de Consumo (menos carros e combustíveis);
2. Carros e Combustíveis;
3. Serviços oferecidos ao consumidor final.

No Brasil, o IBGE segmenta os dados do varejo de uma forma um pouco diferente:

1. Varejo Restrito (Todos os bens de consumo, menos automóveis e materiais de construção);
2. Varejo Ampliado (Todos os bens de consumo, incluindo automóveis e materiais de construção);
3. Serviços em geral.

Neste Ranking, apresentamos as 300 maiores empresas do Varejo Restrito e Ampliado, com exceção de automóveis.