Inovação alavanca o setor de franquias

O presidente da Associação Brasileira de Franchising (ABF) André Friedheim avalia o setor e fala sobre a importância da Cielo para as redes de franquias

Share on facebook
Share on email
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Inovação alavanca o setor de franquias

O presidente da Associação Brasileira de Franchising (ABF) André Friedheim avalia o setor e fala sobre a importância da Cielo para as redes de franquias

Inovação faz parte da agenda do franchising brasileiro, e não tem como ser diferente. Em um mundo cada vez mais movido pela tecnologia, investir em inteligência artificial, atendimento digital, realidade aumentada e virtual, entre outras ferramentas, é um diferencial competitivo para as redes. Nos próximos anos, esse tópico deverá pavimentar a expansão do setor, e não apenas em termos de processos e sistemas, mas também de produtos, serviços e até modelos de negócio. Na entrevista a seguir, o presidente da Associação Brasileira de Franchising (ABF) André Friedheim fala mais sobre o assunto.

Como você avalia o atual momento do franchising nacional, em especial do ponto de vista da inovação?
O franchising brasileiro vem mantendo uma trajetória de crescimento constante, mesmo frente a um período desafiador. Isso é possível, primeiro, pela própria natureza do franchising; um modelo de negócio baseado na colaboração, na troca de experiências e no compartilhamento de recursos. O setor também saiu na frente ao realizar ajustes em sua operação, buscando mais eficiência, novas soluções e públicos. A agenda de inovação se mantém muito forte e deve pavimentar a nossa expansão nos próximos anos, não apenas em termos de processos e sistemas, mas também de produtos, serviços e até modelos de negócios. Temos visto redes tradicionais se reinventarem e novos entrantes já com espírito digital. Certamente, é um período muito desafiador, mas também com grandes possibilidades.

O que você destaca nessa área?
Tivemos muitos exemplos na ABF Franchising Expo 2019, maior feira de franquias do mundo em visitação, que reuniu mais de 66 mil pessoas no Expo Center Norte, em São Paulo, entre os dias 26 e 29 de junho, como totem de autoatendimento, sistemas de ­self-checkout, internet das coisas, wallet digital, market place integrado ao e-commerce, modelo de take away, aplicativos de pré-pedido, vitrine eletrônica, TEF e assistentes pessoais digitais…

A ABF tem uma área de inteligência de mercado. O quanto as pesquisas são importantes para o direcionamento do setor?
Elas nos possibilitam um direcionamento profissional e científico para nossas decisões. São também importantes para os associados e o mercado de forma geral balizarem as suas estratégias de negócio. Em última instância, ainda ajudam os candidatos a franqueados, pois possibilitam uma visão mais macro do segmento em que se quer ingressar.

“A área de pagamentos é vital para qualquer empresa. A Cielo fornece segurança, estrutura e suporte necessários para um setor tão vigoroso quanto o franchising brasileiro. Essa é uma área que vem passando por profundas transformações, e a Cielo nos traz as últimas novidades de forma viável e escalável”

Dentre as características do franchising estão longevidade e continuidade dos negócios. Como as empresas do ramo podem inovar?
O primeiro passo é acompanhar as mudanças de mercado, tanto no Brasil como no exterior. A ABF tem um papel muito importante nesse processo, realizando eventos e missões internacionais. Outro termômetro importante são os franqueados. Afinal, são eles que têm contato diário com os consumidores, podendo passar insights únicos. Identificada a necessidade de mudança e o direcionamento, o desenvolvimento da inovação não tem uma fórmula única. Muitas redes desenvolvem internamente, algumas se unem a consultorias, outras a startups ou aderem a grandes market places. O importante é manter o foco no problema e tornar a solução economicamente viável.

Como a inovação impacta o setor?
Uma pesquisa da ABF e da Confederação Nacional de Serviços (CNS) apontou que 91,8% das redes de franquias brasileiras introduziram alguma inovação entre 2014 e 2016. Esse movimento vem ganhando ainda mais tração com a economia em ritmo lento, as mudanças no comportamento do consumidor e o avanço da digitalização. Logo, a reinvenção é mandatória e vem ocorrendo de forma bastante diversa dentro de nosso setor. Em comum, além do desejo de inovar, o objetivo de resolver algum problema real com base na tecnologia, sem perder de vista as demandas do consumidor.

Qual é a importância de ter empresas como a Cielo sendo parceiras do franchising brasileiro?
A área de pagamentos é vital para qualquer empresa. A Cielo fornece segurança, estrutura e suporte necessários para um setor tão vigoroso quanto o franchising brasileiro. Essa é uma área que vem passando por profundas transformações, e a Cielo nos traz as últimas novidades de forma viável e escalável, o que é fundamental em um setor tão pulverizado como o de franquias. A Cielo também tem sido uma importante parceira da ABF e do setor de franquias no sentido de promover a digitalização dos processos de pagamento, atividade fundamental, tanto para as redes como para o consumidor. Na Convenção ABF do Franchising não é diferente, a Cielo [uma das patrocinadoras do evento] leva suas novidades na área e nos ajuda a promover o principal fórum de discussões do franchising nacional.