Ambiente propício para investimento

Marcelo Maia, diretor-executivo da ABF, fala sobre os números do franchising em 2019

Share on facebook
Share on email
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Ambiente propício para investimento

Marcelo Maia, diretor-executivo da ABF, fala sobre os números do franchising em 2019

O balanço prévio da ABF, divulgado no dia 22 de janeiro, mostra que em 2019 o franchising brasileiro registrou crescimento nominal de 6,9% no faturamento em relação ao ano anterior. Em unidades, o aumento foi de 5,1% e em redes, de 1,4%. Já o total de empregos diretos subiu 4,8%, chegando a 1.361.630. Para comentar o desempenho, conversamos com o diretor-executivo da entidade Marcelo Maia. Confira, a seguir, os principais trechos da entrevista.

Quais fatores contribuíram para o bom desempenho do sistema de franquias nacional no ano passado?
Temos de destacar os aspectos macroeconômicos, com aumento da confiança tanto do empresariado quanto do consumidor, a queda da taxa de juros e as perspectivas de crescimento maior da economia. Tudo isso incentiva o empresariado como um todo a investir. Aliado a isso, o franchising cada vez mais, em múltiplos setores, tem se tornado um canal interessante para distribuição de produtos e serviços, sobretudo por conta da segurança jurídica e de toda a dinâmica que oferece.

As performances dos segmentos de Casa e Construção e Comunicação, Informática e Eletrônicos foram determinantes para o crescimento do sistema em 2019. Por quê?
Além dos fatores macroeconômicos, o segmento de Casa e Construção tem correlação muito grande com a construção civil, que está reaquecendo e gerando mais empregos. Já o segmento de Comunicação, Informática e Eletrônicos segue o movimento de tendência do mercado e tem a ver com a busca por inovação e tecnologia. A demanda por produtos e serviços dessas áreas tem crescido e isso, obviamente, impacta no setor de franquias, sem contar a diversificação nos formatos das unidades.

Para 2020, quais são os principais desafios do franchising?
Com tantos dados econômicos positivos, acho que o maior desafio é sabermos extrair valor disso. Isso significa que as redes devem se profissionalizar cada vez mais e capacitar seus franqueados e colaboradores para que todos nós possamos aproveitar esse ambiente tão propício para investimento para crescer e extrair valor para o setor.

No final do ano, a Presidência da República sancionou a nova Lei de Franquias (13.966/19). De que forma ela impactará o franchising brasileiro em 2020?
A nova lei traz uma série de inovações extremamente positivas para o setor como um todo, para franqueadores e franqueados. É uma legislação que busca dar mais segurança jurídica e melhorar cada vez mais o ambiente de negócios do franchising no Brasil. As alavancas que virão disso são justamente a atração de mais investimentos e a entrada de mais empresas no sistema, tanto nacionais quanto internacionais, que se sentirão cada vez mais seguras em usá-lo para a distribuição de seus produtos e serviços.