Parcerias ajudam na internacionalização de franquias

O sonho de expandir fronteiras e levar a marca de franquia para outros territórios pode ser facilitado por meio de parcerias. O profissionalismo, boas práticas e reconhecimento que precede o franchising brasileiro ajudam a abrir portas em diversos países.

Share on facebook
Share on email
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Parcerias ajudam na internacionalização de franquias

Países oferecem benefícios para ajudar franquias brasileiras a levar negócios, bem como empreendedores locais a abrir empresas por lá

O sonho de expandir fronteiras e levar a marca de franquia para outros territórios pode ser facilitado por meio de parcerias. O profissionalismo, boas práticas e reconhecimento que precede o franchising brasileiro ajudam a abrir portas em diversos países.

É estimado que existam cerca de 30 mil redes de franquias em todo o mundo, sendo que quase 10% disso está no Brasil. Segundo a International Franchise Association (IFA), entidade equivalente à ABF nos Estados Unidos, há franquias em mais de 65 diferentes segmentos da economia.
A ABF, em colaboração com a Apex-Brasil, tem feito um esforço de estimular a internacionalização de redes brasileiras ao longo dos anos. Essa ação tem ajudado a abrir portas em outros países, por meio de parcerias com entidades locais.

A reportagem da Franquia & Negócios mapeou com a área de inteligência da ABF, pelo menos, dois países que oferecem benefícios para a entrada de marcas ou empreendedores brasileiros. “Temos uma parceria muito forte com a Associação de Franquias de Portugal (AFP). Além disso, posso mencionar o caso da província de Macau na China, que, oferece incentivos para que marcas de países de língua portuguesa participem da sua feira de franquias”, explica o gerente de projetos internacionais da ABF Bruno Amado.

Portugal

Portugal é um dos principais destinos de franquias brasileiras. Por essa razão, aquele país está preparado para receber os empreendedores nacionais, conhecendo bem as diferenças entre o ambiente de negócios brasileiro e português. A Associação de Franquias de Portugal, inclusive, oferece um curso específico para empreendedores brasileiros que queiram abrir negócios em terras lusitanas.

Macau

Em 2019, a ABF esteve com quatro empresas brasileiras na feira de Macau, a Macao Franchise Expo, que oferece benefícios para falantes de língua portuguesa. “Os participantes receberam os estandes gratuitamente, além de reembolso de parte das passagens aéreas, duas diárias de hotel, transfer, entre outras coisas”, explica Amado. Para ter acesso, é preciso realizar, pelo menos, dez reuniões de negócios durante a feira, por meio do sistema de matchmaking oficial do evento.

Fatores a serem considerados antes de internacionalizar

Além dos benefícios oferecidos por países, é preciso considerar uma gama de fatores antes de levar a marca ou resolver empreender em países de culturas diferentes. O especialista Daniel Bernard, da consultoria NetPlan, ajudou a elencar as razões abaixo, presentes também no Guia de Orientação à Internacionalização de Franquias, desenvolvido pela ABF e pelo Sebrae.

1. Tamanho do mercado no país de destino
2. Forte apelo internacional do formato do negócio
3. Nível de prosperidade econômica do mercado de destino
4. Oportunidades de nichos não atingidos nos
mercados de destino
5. Posse de alguma vantagem competitiva sobre
competidores internacionais
6. Objetivos organizacionais expansionistas
7. Fortalecimento da imagem da empresa
8. Acúmulo de conhecimento para a empresa
9. Obtenção de economias de escala
10. Oportunidades limitadas de expansão
no mercado nacional
11. Expansão internacional dos concorrentes
12. Taxas cambiais favoráveis para a expansão
13. Proximidade cultural com o país de destino
14. Custos crescentes de expansão nacional
15. Desempenho financeiro da empresa insatisfatório
no mercado nacional
16. Ambiente político desfavorável no Brasil
17. Entrada de novos competidores internacionais no Brasil
18. Ambiente econômico desfavorável no Brasil
19. Proximidade geográfica do país de destino
20. Perda de participação de mercado no Brasil
21. Baixos custos de operação/investimento
no mercado internacional
22. Interesse de investidores internacionais
23. Desejo pessoal do presidente da empresa
24. Interesse dos próprios franqueados da rede
em expandir internacionalmente