Advertisement Advertisement Editora Lamonica – Revista Franquia #84 |MERCADO|União para ir mais longe

Notícias

Revista Franquia #84 |MERCADO|União para ir mais longe

União para ir mais longe

Fusões e aquisições ajudam franqueadoras a ganhar escala e aa se fortalecerem para enfrentar períodos de turbulência

“No planejamento de ações que desenhamos, colocamos que nos primeiros 90 dias precisávamos que os franqueados já sentissem melhorias, tornando mais tranquilo o trabalho junto À rede” Henrique Mol, presidente da Encontre Sua Franquia

“No planejamento de ações que desenhamos, colocamos que nos primeiros 90 dias precisávamos que os franqueados já sentissem melhorias, tornando mais tranquilo o trabalho junto À rede”
Henrique Mol, presidente da Encontre Sua Franquia

Em 2018, a rede de limpeza ecológica Acquazero foi adquirida pelo grupo Encontre Sua Franquia. Desde então, está sob a batuta do empresário Henrique Mol. “No momento em que comunicamos aos atuais franqueados da rede sobre a aquisição do grupo Encontre Sua Franquia houve certa resistência ou dúvidas que o processo seria positivo à franquia”, explica.
De acordo com ele, esse período de transição durou 90 dias. Depois, com um maior entendimento houve um consenso sobre as melhorias. Mol afirma que muitos processos precisaram ser adaptados na fusão e, para isso, utilizou a experiência de outras marcas que pertencem ao grupo.
“No planejamento de ações que desenhamos, colocamos que nos primeiros 90 dias precisávamos que os franqueados já sentissem melhorias, tornando mais tranquilo o trabalho junto à rede”, afirma.
Com a aquisição, a Acquazero passa a fazer parte de um grupo e assim pode negociar melhor prazos e preços com fornecedores, por exemplo. “Conseguimos dividir recursos entre o grupo Encontre Sua Franquia, ter maior capacidade de investimento em infraestrutura, melhor suporte aos franqueados e compartilhar conhecimento. A escala do grupo gera benefícios a todos as marcas envolvidas”, explica.
A busca por vantagens comerciais e alternativas de redução de custos é o que mais motiva as fusões e aquisições no meio empresarial e isso não seria diferente no segmento de franquias, conforme explica o presidente da consultoria Praxis Business, Adir Ribeiro.

Olhar apurado
De escala o empresário Carlos Wizard Martins entende bem. No ano passado, o grupo Sforza, do qual é fundador, adquiriu 22,5% da operação da marca de vestuário Topper, na Argentina. O valor estimado foi de R$ 100 milhões.
No Brasil, a marca já pertence ao grupo desde 2015, quando também foram adquiridas as operações da Rainha.
Desde que vendeu o Grupo Multi – detentor da marca Wizard – à britânica Pearson, Carlos Wizard tem investido em aquisições de novos empreendimentos. Dentro do sistema de franquias ele dirige a Ronaldo Academy, a Mundo Verde e a rede de fast food Taco Bell.
“Embora, nos últimos anos, o franchising no Brasil tenha caminhado na contramão das crises, crescendo e superando as incertezas econômicas, de modo geral, as organizações ficam mais atentas às ameaças e às oportunidades”, explica Adir Ribeiro.

Você Sabia?
De acordo com estudo da consultoria Bain & Company, as fusões e aquisições cresceram 17% em 2018 e atingiram US$ 3,4 trilhões em valor real de transações. A razão para isso é uma maior busca por capacitação e não necessariamente escala. Ou seja, as empresas estão se unindo em nome da inovação e isso faz todo sentido, uma vez que a palavra disrupção praticamente norteou todo o período.
Carlos Wizard Martins, fundador da Sforza Holding

Carlos Wizard Martins,
fundador da Sforza Holding

Expansão do setor
O movimento proporciona resultados como crescimento rápido, ganhos em escalabilidade, aumento de participação de mercado, otimização de estrutura e de suporte, departamentos unificados, melhores negociações para compras e mais poder de mercado diante de fornecedores. Além disso, ocasiona novas soluções tecnológicas,

“Para poder prestar um suporte efetivo e prover tecnologia, conhecimento estruturado e escala de negociações, o volume é fundamental. Sendo assim, o caminho de fusões e aquisições é natural e necessário” Adir Ribeiro, presidente da Praxis Business

“Para poder prestar um suporte efetivo e prover tecnologia, conhecimento estruturado e escala de negociações, o volume é fundamental. Sendo assim, o caminho de fusões e aquisições é natural e necessário”
Adir Ribeiro, presidente da Praxis Business

redução de custos de produção, novos canais de distribuição, vantagens fiscais, vantagens em relação à concorrência, entre outras possibilidades.
“O fato mais relevante é que o franchising brasileiro é muito pulverizado, pois temos uma média de 50 unidades por franqueador, contra uma média de 200 unidades nos Estados Unidos. Ou seja, temos cerca de 2,8 mil franqueadores aqui, mas esse volume de unidades é muito baixo para criar franqueadores estruturados e capacitados financeiramente, já que o volume de recursos é relativamente baixo”, explica o presidente da consultoria Praxis Business.
Aqui no Brasil, apenas 20% das franqueadoras têm mais de 100 unidades. “Para poder prestar um suporte efetivo e prover tecnologia, conhecimento estruturado e escala de negociações, o volume é fundamental. Sendo assim, o caminho de fusões e aquisições é natural e necessário”, explica o especialista.

Integração de culturas

Antes de qualquer coisa, uma avaliação financeira dos modelos de negócio é fundamental. Ribeiro indica que a marca procure por profissionais que possam ajudar nessa questão, bem como amparo jurídico. “Destaco também a importância de considerar a integração de diferentes culturas, os possíveis choques no ambiente organizacional e o impacto para os funcionários. O processo todo precisa ser feito de maneira cautelosa e confidencial, até a sua conclusão”, explica.
O ideal é falar claramente com a rede de franqueados sobre a nova situação da empresa e transformá-los em agentes do novo negócio. A visão da franqueadora precisa ser de eliminar incertezas e prover segurança e acolhimento. “Acredito fortemente que esse mercado passará por mais transformações ainda, principalmente com empresas internacionais olhando para o mercado brasileiro e avaliando a aquisição, sociedade ou joint-venture com as franqueadoras nacionais”, avalia o especialista.

Fusões e aquisições no franchising: relembre alguns movimentos recentes
§ Em 2015, os grupos J.Alves e Ornatus Alimentação se fundiram e criaram a Halipar (Holding de Alimentação e Participações), que abriga restaurantes como Griletto, Montana Express, My Sandwich e Jin Jin Wok. Dois anos depois, o novo grupo adquriu a marca Croasonho.
§ Em 2017, a italiana Luxxottica anunciou a compra da brasileira Óticas Carol,
por 110 milhões de euros.
§ Em 2017, o Grupo Restaura, detentor da Restaura Jeans comprou 65% da marca de alimentação natural, DNA Natural.
§ No ano passado, o Grupo Trigo, controlador do Spoleto vendeu a operação nacional da Domino’s para o fundo de investimentos Vinci Partners, por estimados R$ 330 milhões.
Publicações recentes