Advertisement Advertisement Editora Lamonica – Revista Franquia #84 |GESTÃO|Minha casa, minha empresa

Notícias

Revista Franquia #84 |GESTÃO|Minha casa, minha empresa

Minha casa, minha empresa

Novos arranjos profissionais levaram os empreendimentos para a casa dos franqueados. Saiba quais são as vantagens e desvantagens de se trabalhar em casa e como se organizar

Tatiana Raimundo Ramos, franqueada da The Kids Club

Tatiana Raimundo Ramos, franqueada da The Kids Club

Nos últimos anos, o empreendedorismo cresceu aliado ao desemprego, mas também a um desejo de maior autonomia. Um dos modelos que mais se fez presente para atingir esses objetivos foi o home based. Diversas franquias se lançaram no mercado com esse modelo e as tradicionais lançaram formatos que comportam uma operação dentro de casa.
A insatisfação com o material e a metodologia utilizados pela antiga escola fizeram com que a professora Tatiana Raimundo Ramos, 35, procurasse outras formas de ensinar. Por essa razão, ela resolveu mudar de rumo e procurar algo que se aproximasse do que ela acreditava. Ela chegou até a The Kids Club. “É algo muito diferente do que eu fazia antes na escola regular”, explica.
O fato de a franquia ser home based colaborou para que Tatiana conseguisse ficar mais tempo

Felipe Marcelo Carreiro, franqueado da Gigatron Franchising

Felipe Marcelo Carreiro, franqueado
da Gigatron Franchising

perto de sua filha de sete anos.
“A palavra-chave que aprendi foi que é preciso ter, acima de tudo, organização, pois uma franquia home based exige disciplina. Nesse modelo de negócio, o sucesso está intrinsecamente ligado à produtividade e eu precisei aprender a separar as tarefas de casa com o trabalho, assim como ter uma carga horária destinada exclusivamente para esse fim, evitando, ao máximo, não misturar com meus afazeres pessoais”, explica.

Horário de trabalho especificado
Para isso, Tatiana separou um cômodo da casa para ser seu escritório. Quando ela está lá, o marido e a filha sabem que é horário de trabalho e não a interrompem. “Está claro, para todos nós, que embora eu esteja dentro de casa, eu também trabalho”, comenta.
O desafio de Tatiana foi impor limites a si mesma para não trabalhar mais do que o necessário, uma vez que não há um expediente em trabalho home office. “Se não tiver um foco muito bem delimitado, é fácil se perder no caminho e passar dos limites”, explica.
Ela se organiza para trabalhar à tarde, sempre que a filha está em aula. “Outro ponto que acho que vale a pena destacar é que a franquia home based oferece maior possibilidade de resolver imprevistos, como a doença de algum familiar que precisa, também, da minha atenção”. Apesar disso, ela diz que é preciso saber separar trabalho da vida pessoal.

Você Sabia?
Entre as 50 maiores franquias do Brasil, o modelo home based ganhou importância. De acordo com o levantamento, entre 2017 e 2018, enquanto o percentual de lojas tradicionais diminuiu de 91% para 88%, outros formatos – como quiosques, unidades móveis e operações home based – passaram de 9% para 12%.

Assim como Tatiana, Felipe Marcelo Carreiro, 27, também não concordava com as escolhas da empresa em que trabalhava, além de não ter perspectiva de crescimento. Ele decidiu empreender e escolheu a Gigatron Franchising pela comodidade e preço mais acessível, por ser home based. “É você que define o seu próprio horário e suas metas. Outro ponto também é que a empresa depende exclusivamente de você, se não tiver dedicação, a empresa não cresce; se não tiver esforço, o salário não vem, sendo assim você acaba trabalhando mais, porém as recompensas são maiores”, explica.

“É preciso ter um local reservado para poder fazer ligações ou até vídeo conferência em alguns casos” Mércia Vergilli, consultora do Grupo Soares Pereira & Papera (GSPP)

“É preciso ter um local reservado para poder fazer ligações ou até vídeo conferência em alguns casos”
Mércia Vergilli, consultora do Grupo Soares Pereira & Papera (GSPP)

Responsabilidade maior
Apesar da flexibilidade de horários, todo o trabalho depende do franqueado. Logo, a responsabilidade é maior do que em uma rotina de funcionário, ou mesmo de patrão em ambiente corporativo. “Para ter produtividade em casa, deve-se separar a rotina doméstica do trabalho, completamente. É preciso ter um local reservado para poder fazer ligações ou até vídeo conferência em alguns casos, para poder responder todos os e-mails e whatsapps”, explica a consultora do Grupo Soares Pereira & Papera (GSPP), Mércia Vergilli.
Estipular horários para o trabalho ajuda, bem como separar um local, da mesma forma que Tatiana e Felipe fizeram. “O melhor é quando tem um espaço reservado, que possa ser seu escritório, com mesa para micro, impressora, telefone e internet, no mínimo”, explica a especialista.
Colocar regras desde o início ajuda a não comprometer as metas e também o convívio familiar.

Mudança radical
Gabriel Françoso trabalhou em banco por dez anos antes de investir no modelo home based da Little Kickers. Ele precisou passar por uma grande adaptação da rotina e de seus hábitos para conseguir se acostumar. “É uma cultura que não fazia parte da minha vida bancária. Realmente requer uma fase de adaptação. Disciplina e organização são fundamentais”, afirma.
Françoso acredita que a família seja beneficiada com sua presença em tempo integral. “A qualidade de vida deu um salto gigantesco no que diz respeito a presença, disponibilidade, flexibilidade de horários”, comenta.
Por outro lado, ele sentiu a diferença da falta de contato com outras pessoas no ambiente profissional e elenca como uma das principais dificuldades do modelo. “Sempre fui muito de ter um ambiente divertido no trabalho com meus funcionários, almoçar juntos, brincadeiras, happy hours etc. Não ter pessoas fixas ao seu lado durante o dia limita muito essa convivência”, comenta.
Antonio Walter, 29 anos, também trabalhava em banco antes de entrar para o franchising. Hoje, ele é franqueado do Instituto de Especialização em Vendas (IEV) e afirma que escolheu o modelo por conta da flexibilidade. “Eu sou pai de gêmeos e poder acompanhar de perto o crescimento dos meus filhos é o maior bônus.”

Cinco dicas para se organizar
1. Separe um espaço destinado apenas à atividade da franquia
2. Tenha um horário de trabalho estipulado. Não precisa bater ponto, mas ter uma rotina ajuda a se organizar. Não passe muitos dias trabalhando no horário que está destinado à família
3. Tenha em mente que aquilo é um trabalho e que precisa de foco para obter retorno financeiro
4. Saiba se auto cobrar, mesmo sem chefe: é preciso trabalhar para obter resultado
5. É mais produtivo trabalhar vestido com “roupa de trabalho” e não ficar o dia todo de pijama.
“Entendi que precisava de uma preparação para começar as atividades, para definir que ali começava o meu trabalho, e era a hora que eu deixava as rotinas de casa” Antonio Walter, franqueado do Instituto de Especialização em Vendas (IEV)

“Entendi que precisava de uma preparação para começar as atividades, para definir que ali começava o meu trabalho, e era a hora que eu deixava as rotinas de casa”
Antonio Walter, franqueado do Instituto de Especialização em Vendas (IEV)

Para ter mais produtividade, ele montou um escritório isolado dentro de casa e limitou seu horário de trabalho das 10 horas às 18 hiras. “A minha esposa trabalha em outra cidade e sai pela manhã, então neste período eu cuido dos gêmeos até às 10 horas, depois eles ficam aos cuidados da avó materna”, explica.
No início, a maior dificuldade de Walter foi separar as demandas de casa e as da empresa. Ele chegou a ver sua produtividade cair por tentar equilibrar tudo ao mesmo tempo. “Entendi que precisava de uma preparação para começar as atividades, para definir que ali começava o meu trabalho, e era a hora que eu deixava as rotinas de casa e isso me ajudou, funcionou muito bem”, explica.

Como organizar estrutura e agenda

“Não ter pessoas fixas ao seu lado durante o dia limita muito a convivência” Gabriel Françoso, franqueado da Little Kickers

“Não ter pessoas fixas ao seu lado durante o dia limita muito a convivência”
Gabriel Françoso,
franqueado da Little Kickers

O maior desafio em tocar uma franquia home based é convencer a si mesmo e aos outros que horário de trabalho deve ser respeitado, segundo Mércia. “Também é importante que o franqueado mesmo tendo flexibilidade em relação ao seu horário não fique repetidas vezes marcando consultas ou assuntos domésticos durante o expediente para não perder o foco”, explica.
De acordo com ela, a organização do trabalho deve ser orientada pela franqueadora, no que tange a materiais e estrutura necessários. “O trabalho em casa tem vantagens muito grande como diminuição de tempo gasto em trânsito, de valores altos de locação de sala, principalmente nas grandes capitais”, comenta.

Publicações recentes