Notícias

Nada de cirurgia – Revista OdontoCompany

na Categoria Revista OdontoCompany, Saúde

Incomodado com a gordura localizada? Saiba que existe no mercado nacional uma série de tratamentos não invasivos que ajudam a eliminá-la sem sofrimento

Matéria publicada na seção Estética da Revista OdontoCompany nº 14 (página 26)

odontocompany_estetica_14_pg26_2

18/09/2017 – Os brasileiros estão entre os povos mais vaidosos do mundo. Só para se ter uma ideia, no ano passado, segundo dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), foram realizados no País 1.472.435 procedimentos, entre estéticos e reparadores, aumento de 14,25% em relação a 2014 (1.288.800). No entanto, ao mesmo tempo em que se tem registrado alta no número de operações, também tem havido mais procura por tratamentos não invasivos – em 2016 foram 1.332.203, acréscimo de 79,5% na comparação com três anos atrás (271.490) –, o que, para quem quer mudar o corpo sem os riscos de uma cirurgia, são ótimas opções.

No caso das gorduras localizadas, aquelas teimosas e resistentes à dieta e atividades físicas e um dos problemas que mais aflige homens e mulheres, existe uma série de alternativas disponíveis no mercado nacional. A especialista em Estética e Cosmetologia, membro do Conselho Científico da Academia Brasileira de Estética Científica (Abec) e embaixadora do Centro e Instituto Internacional de Aprimoramento e Pesquisas Científicas (CIA), Isabel Piatti, cita, por exemplo, a criolipólise.

“O método elimina as células de gordura por meio de resfriamento local, e a temperatura varia de acordo com a tecnologia empregada, indo de 5º positivos até 5º negativos”, explica a profissional. “Nessa técnica, uma parte da pele com o tecido adiposo é sugado por uma máquina específica, provocando a cristalização das células de gordura, que morrem gradualmente e são eliminadas pelo corpo em um processo conhecido como apoptose celular”, complementa.

Indicada para áreas como abdome, costas, pneuzinhos laterais, glúteos e coxas, a criolipólise reduz a camada de gordura de 20% a 25%. Vale destacar que a pele, os nervos, os músculos e as demais estruturas próximas são preservados. Quanto aos efeitos, eles já começam a ser notados nas primeiras três semanas, mas é ideal, pelo menos, três meses para conseguir resultados mais profundos.

O que também tem feito bastante sucesso nas clínicas brasileiras no combate às gorduras localizadas são os lasers. Um dos mais recentes é o Sculpsure. “Ele mata a gordura por aquecimento continuado e volumétrico, entre 42 e 47 graus, o oposto da criolipólise”, explica o dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), Jardis Volpe.

De acordo com o médico, o procedimento não cirúrgico pode ser empregado em qualquer parte do corpo com um pouco de gordura, porém, não funciona em gordura visceral e pessoas com gorduras muito densas podem ter resultados menos expressivos. O dermatologista enfatiza que o calor mantido por um período de 25 minutos mata apenas a gordura, sem queimar ou danificar a pele. “Estudos americanos mostram redução de até 24% de gordura com uma sessão, mas isso pode demorar entre seis e 12 semanas para ocorrer”, completa.

Outro laser muito procurado é o i-lipo. De baixa potência, como explica Isabel Piatti, ele atua diretamente no tecido adiposo, emitindo um sinal químico para as células, e transformando a gordura em energia. Assim como os demais tratamentos, esse também não danifica quaisquer estruturas vizinhas, como pele, vasos e nervos periféricos. E seus resultados são bem positivos: imagens de ultra-som mostram uma redução de até 30% na profundidade da camada de gordura.

 

Eletroestimulação

E tem ainda mais alternativas no combate à gordura localizada. Uma das últimas a surgir, e que conta adeptos de peso, como o atleta Usain Bolt, é a Xbody. De origem alemã, a tecnologia chegou ao Brasil no início de 2016, introduzida pela academia Les Cinq Gym, de São Paulo. Ela estimula simultaneamente cerca de 350 músculos, e isso ocorre através de eletrodos conectados ao corpo e ligados a uma máquina de comando, durante a execução de exercícios físicos.

“O Xbody trabalha o corpo todo ao mesmo tempo, e promove a eliminação da gordura, o emagrecimento, a tonificação da musculatura e a melhorara a celulite. A corrente elétrica da máquina vai sendo modulada conforme o corpo vai se adaptando, e cerca de 20 minutos equivalem a duas ou três horas de musculação”, diz Isabel.

Com tantas opções não cirúrgicas à disposição, ficou bem mais fácil ter um corpo mais bonito e sem tanto sofrimento. Apesar disso, como em qualquer tratamento, é importantíssimo passar por uma avaliação médica para verificar se há realmente necessidade e quais os melhores protocolo e indicação. Além disso, para ter bons resultados, não adianta apenas investir nos aparelhos. Também é preciso cuidar da alimentação, beber bastante água, ter hábitos saudáveis e praticar atividade física regularmente.

 

Matéria publicada na seção Estética da Revista OdontoCompany nº 14 (página 26)

Recommended Posts

Deixe um comentário