Histórico

A Lamonica Comunicação Integrada atua em um segmento no qual a velocidade da informação dita tendências e aponta os caminhos a serem seguidos. Por isso, considera imprescindível responder ao mercado com soluções sob medida para atender à nova realidade.

Fundada em 1991, a Lamonica Comunicação Integrada nasceu com a vocação de gerar resultados para empresários através de publicações dirigidas. Suas atividades e empreendimentos, numa área em que a comunicação segmentada assume um papel cada vez mais fundamental para a informação de negócios, lhe rendem o reconhecimento de ser a editora oficial do varejo brasileiro, com foco na gestão do franchising – um dos segmentos que mais cresce e emprega no País.

Criada com o nome de Editora Lamonica, a empresa tem na inovação sua dinâmica natural. Por isso, em 2010, adotou um novo conceito na produção e distribuição de conteúdos para proporcionar aos clientes e leitores o acesso a informações diversificadas de forma rápida e eficiente, além da facilidade de contratar um único fornecedor para atender as mais variadas necessidades. E inaugurou essa nova fase adotando a denominação de Lamonica Comunicação Multicanal, com novo padrão visual em toda sua comunicação com o mercado.

Em 2014, com seu conceito multicanal ampliado e aprimorado, passa a assinar como Lamonica Comunicação Integrada, indo além das plataformas e integrando todos seus conteúdos nos mais diversos canais de comunicação, facilitando a interação e aproximação com seus públicos.

História do Franchising no Brasil

Essa saga do empreendedorismo capitalista se mistura com a própria história do franchising. O primeiro movimento franqueador de marca de que se tem notícia está cravado em pleno século XIX. Mais precisamente no remoto ano de 1862, quando a Singer Sewing Machines, já então uma importante indústria de máquinas de costura, decidiu tentar um novo caminho para crescer. Que tal envolver outros empreendedores, que entrariam com seu capital e seu esforço, aproveitando e ampliando o sucesso da Singer em seu setor?

Já segundo o consultor André Friedheim, “com o tempo, empresas como a General Motors e Coca-Cola adotaram o sistema de franquias como uma forma de se fazer negócios e crescer, ocupando mercados – a finalidade da GM era expandir a sua rede de revendas de automóveis e a da Coca era garantir o engarrafamento e uma distribuição mais abrangente de seus produtos, utilizando terceiros nesse processo. A partir do século XX, após a 2ª Guerra Mundial, o sistema de franquias iniciou o seu grande `boom` nos Estados Unidos, com a abertura de diversos negócios por soldados americanos que voltaram para suas casas sem experiência e sem emprego, porém com muita vontade de trabalhar e com necessidade de ganhar dinheiro.

O mercado já apresentava oportunidades de franquias como Hertz (locação de veículos), Roto Rooter (limpeza de encanamentos), entre muitas outras. Em 1955 todo esse movimento culminou com o aparecimento do McDonald’s, até hoje uma das maiores referências do mercado de franquias no mundo, juntamente com marcas como Burger King e KFC”.

No Brasil, o movimento de criação de oportunidades e empregos através desse sistema se iniciou pouco depois do “boom” norte-americano. Segundo registra ao livro 20 Anos de Franchising/ABF, “o Yázigi criou formalmente, em 1960, a primeira rede de franquias no Brasil. Seus fundadores, Fernando Heráclio Silva e o filho de imigrantes libaneses, César Yásigi, não sabiam, mas estavam dando o primeiro passo para que o país se transformasse em um dos líderes mundiais do franchising”.

Globalização e enxugamento

O enxugamento promovido pelas organizações em todo o país nos anos 1980 – através da chamada reegenharia empresarial e do downsizing (diminuição dos níveis hierárquicos), surgidos no bojo da globalização que promovia a diminuição dos juros bancários e o incentivo às atividades produtivas – acarretava demissões nos níveis executivos das empresas. Basta dizer que em 1983, pela primeira vez em sua história, a gigante IBM, junto com outras grandes organizações, promoveu um grande projeto de demissões voluntárias, com altas somas de indenizações envolvidas.

Encontravam-se disponíveis no mercado de trabalho, então, técnicos e executivos de boa formação e com capital nas mãos. “Quase sempre, esses profissionais aplicariam grande parte de sua poupança/ capital num novo negócio. Daí o temor a aventuras, que abriria espaço para a aquisição de uma franquia, capaz de oferecer marcas consolidadas e modelos de gestão já testados com êxito”. (20 Anos de Franchising/ABF – pág. 90).

Criação da Associação Brasileira de Franchising

Ainda nesse início dos 80, executivos atuantes nos movimentos em direção do sistema de franquias começaram a se reunir. O objetivo era sanear o mercado e auxiliar os pequenos empresários emergentes. Em 1986, uma delegação foi aos Estados Unidos para o encontro da IFA – International Franchising Association.

Os participantes voltaram entusiasmados. Haviam se convencido da importância da organização do sistema de franquias para viabilizar o crescimento das pequenas e médias empresas brasileiras.

E, em 7 de junho de 1987, foi oficializada a criação da Associação Brasileira de Franchising, considerada marco fundamental para a profissionalização e expansão sustentada do setor.