Notícias

E-commerce paulista tem faturamento de R$ 3,4 bi no 3º tri de 2016

na Categoria Economia, Pesquisa

shutterstock_530331598_edit2Queda no setor foi de 6,6%, segundo pesquisa da FecomercioSP em parceria com a Ebit; inflação elevada, escassez de crédito e aumento do desemprego refletiram no resultado

11/01/2017 – O comércio eletrônico voltou a apresentar queda no faturamento real no terceiro trimestre do ano passado, após registrar alta no segundo trimestre de 2016, segundo levantamento realizado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) em parceria com a Ebit. No período, o setor faturou R$ 3,4 bilhões, com queda de 6,6% na comparação com o mesmo período de 2015. Já no acumulado do ano até setembro, o faturamento do setor registrou queda de 4,4% e em 12 meses retração de 4,6% – o pior resultado da série histórica.

A participação do e-commerce nas vendas do varejo paulista no terceiro trimestre ficou em 2,4%, com leve retração de 0,2 ponto porcentual na comparação com o mesmo período de 2015. Com relação ao número de pedidos, o montante subiu 1,4%, passando de 9,076 milhões para 9,201 milhões. O valor médio por pedido registrou queda de 7,9% no terceiro trimestre de 2016, passando de R$ 404,41 no mesmo período de 2015 para R$ 372,63. A Assessoria Econômica da FecomercioSP destacou que a desaceleração das vendas do varejo vem sendo sentida tanto no varejo físico como no varejo eletrônico e isso é reflexo da inflação elevada, dos juros altos, da escassez de crédito e do aumento do desemprego.

O faturamento do comércio eletrônico caiu 6,6% no terceiro trimestre, de 4,4% no acumulado do ano e 4,6% no acumulado dos últimos 12 meses até setembro – o pior da série histórica. Já o varejo paulista exibiu crescimento de 1,7%, leve recuo de 0,7% e queda de 2,8% respectivamente nas vendas nessas mesmas bases comparativas.

O comércio eletrônico na cidade de São Paulo fechou o terceiro trimestre de 2016 com faturamento real de R$ 1,6 bilhão, alta de 17,9% se comparado com o mesmo período de 2015. Em relação ao número de pedidos na Capital, foram mais de 4,5 milhões, com tíquete médio de R$ 353,01.  Entre as 16 regiões analisadas pela PCCE, considerando o faturamento acumulado no terceiro trimestre de 2016, apenas a Capital (17,9%) apresentou crescimento no período. Todas as demais 15 regiões registraram retração, com destaques para Marília (-37,3%), Taubaté (-31,4%) e Litoral (-30,3%) que apresentaram os piores desempenhos. Já com relação ao tíquete médio, as regiões que registraram os maiores valores foram Araraquara (R$ 471,72), Sorocaba (R$ 427,54) e São José do Rio Preto (R$ 427,09).

Fonte: FecomercioSP

 

Recommended Posts

Deixe um comentário