Notícias

Artigo – Entenda porquê a Black Friday pode mudar de data em 2018

na Categoria Artigos, Marketing, Varejo
shutterstock_518151787_edit2

(Imagem: Shutterstock)

Por Francisco Cantão*

A Black Friday, que já se estabeleceu como uma das mais importantes do ano para o comércio eletrônico brasileiro, tendo movimentado R$ 2 bilhões em 2016, segundo levantamento da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) e que possui data fixa na última sexta-feira de novembro, pode passar por uma grande mudança em 2018. A possibilidade é que o evento passe a ocorrer em setembro, antecipando em dois meses o período mais aguardado para o varejo on-line.

O motivo informado pelos lojistas como justificativa para a troca é a necessidade de separar as vendas de Natal com as da Black Friday. Como hoje existe uma grande proximidade entre ambos, as lojas acabam perdendo oportunidades e não conseguem trabalhar da melhor forma, precisando fazer uma mescla que pode não ser a melhor opção para os negócios nem para os consumidores. Com a alteração, as ações poderiam ser feitas de forma separada, tornando-as mais atraentes.

Levando em conta o cenário econômico atual, a mudança pode ser promissora, pois introduziria em setembro – mês sem muitas possibilidades devido ao calendário desfavorável –, a maior data do e-commerce nacional, aumentando a quantia de transações do período. Assim, o último trimestre do ano teria outras formas de ser impulsionado, com o Dia das Crianças e o Natal.

Alguns lojistas são contra, pois acreditam que o principal fator que cativa os consumidores é o recebimento do 13º salário, em novembro. Dessa maneira, é possível que os clientes guardem o dinheiro e se programem para a data em seu dia tradicional. Os que são a favor argumentam que o sucesso da Black Friday não é o 13º salário, mas a comunicação proporcionada pelas empresas por meio das mídias tradicionais, como rádio, televisão e jornal e também as on-line, como Google e Facebook.

Com o impasse, o cenário mais provável é a realização de ambos, com uma Black Friday em setembro e outra em novembro, possibilitando a participação de todos os lojistas interessados. Tal opção pode até ser viável ao consumidor, que terá mais de uma oportunidade para aproveitar os baixos valores oferecidos, mas o risco da data perder a atratividade junto aos consumidores, que, em boa parte, já questionam a credibilidade da data. Uma alteração dessas, desalinhando com a data original americana, pode gerar ainda mais dúvidas na cabeça do cliente final sobre a veracidade da data promocional.

*Francisco Cantão, é fundador do site Black Friday de Verdade e sócio da empresa de marketing digital Proxy Media.

Recommended Posts

Deixe um comentário