Notícias

25% dos brasileiros tiveram crédito negado em maio

na Categoria Economia, Varejo
shutterstock_525276400_edit2

(imagem: Shutterstock)

Indicador do SPC Brasil e CNDL se manteve estável em 27,5 pontos em maio e 57% planejam reduzir gastos em julho

05/07/2017 – Segundo o Indicador de Uso do Crédito, apurado pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas), 25% dos brasileiros tiveram crédito negado no último mês de maio ao tentarem fazer uma compra a prazo ou contratar algum tipo de empréstimo ou financiamento. O estudo apontou que a principal razão da negativa seria por estarem com o nome inserido em cadastros de inadimplentes (10%) ou a falta de comprovação de renda (4%).

O fato de 46% dos brasileiros considerarem ‘difícil ou muito difícil’ tomar crédito reforçaria o comportamento restritivo dos credores. “Crédito fácil e desburocratizado pode parecer algo positivo para quem precisa de dinheiro imediato para resolver um problema financeiro. Em muitos casos, porém, a contrapartida da agilidade e do crédito farto é a cobrança de taxas de juros muito elevadas. Nesses casos, se o consumidor não analisar a sua capacidade de pagamento, ele poderá ficar inadimplente e desajustar todo o seu orçamento”, destaca a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

Segundo o levantamento seis em cada dez (58%)consumidores brasileiros não utilizaram nenhuma modalidade de crédito em maio e o restante (42%) mencionou ao menos uma modalidade a qual tenham recorrido no período. O Indicador de Uso do Crédito marcou 27,5 pontos em maio, estável em relação aos 27,6 pontos registrados em abril. A escala do indicador varia de zero a 100, sendo que quanto mais próximo de 100, maior a disposição do consumidor e tomar crédito.

“Com a inadimplência em patamar elevado, desemprego crescente e recessão ainda longe do fim, tanto bancos como financeiras têm restringido o crédito no mercado, o que dificulta a contratação por parte do consumidor. Além disso, as taxas de juros, ainda muito elevadas, acabam inibindo o apetite do brasileiro na busca de recursos financeiros para consumir”, explica o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior.

Confira aqui a íntegra do indicador

Fonte: SPC Brasil

Recommended Posts

Deixe um comentário